Síndrome das Pernas Inquietas

Introdução

A Síndrome das Pernas Inquietas é uma condição neurológica bastante comum cujo nome já diz quase tudo sobre os sintomas. Costuma apresentar-se como um extremo desconforto e anormalidades de movimento nos membros inferiores que, se supõe, atinge entre 5 a 12% da população. Nos Estados Unidos da América é estimado que aproximadamente 12 milhões de pessas possuem esta condição.

Mas você deve estar se perguntando porque a Síndrome das Pernas Inquietas veio ser assunto de um artigo em um website vascular. Muitos pacientes procuram o consultório vascular com queixas de dores nas pernas. Talvez seja a queixa mais comum em um consultório vascular. Além desta, as queixas de formigamentos, sensação de um líquido correndo nas pernas, “gastura” nas pernas, desconforto e sensações mal definidas são bastante comuns em consultórios vasculares.

Alguns destes pacientes já procuraram auxílio com vários médicos, de várias especialidades, muitos tratamentos alternativos para suas queixas foram instituidos sem sucesso e, sem que haja claramente uma doença vascular presente. Estas pessoas podem ser portadoras da Síndrome das Pernas Inquietas.


Diagnóstico

Não existe exame complementar para o diagnóstico específico. O International Restless Legs Syndrome Study Group (IRLSSG – Grupo de Estudo para Síndrome das Pernas Inquietas) estabeleceu critérios clínicos maiores e auxiliares para o diagnóstico da Síndrome das Pernas Inquietas:

Critérios mínimos para diagnóstico da Síndrome das Pernas Inquietas:

  1. Necessidade urgente de movimentar as pernas, associado a sensações desagradáveis como desconforto, dor e incômodo no “osso”, sensação que escorre um líquido pelas pernas, queimação, formigamento, etc.
  2. Os sintomas iniciam quando está em repouso, sentado ou deitado. Quanto mais tempo estiver parado, maior a probabilidade de ocorrer.
  3. Os sintomas melhoram muito ao movimentar as pernas.
  4. Os sintomas são mais intensos à noite que durante o dia, ou podem ocorrer somente à noite.

Critérios auxiliares:

  1. Movimentos involuntários das pernas durante o sono (geralmente o paciente pode não ter noção deste fato, mas o cônjuge geralmente relata), causando micro-despertares noturnos (conscientes ou não), prejudicando a capacidade de descanso do sono.
  2. História familiar (outros familiares podem ter a Síndrome das Pernas Inquietas)
  3. Melhora com medicamentos específicos

A Síndrome das Pernas Inquietas parece ter um componente familiar, há indicios de comprometimento genético desta condição.

Outras situações médicas podem estar associados a sintomas de Síndrome das Pernas Inquietas:

  • até 25% das gestantes vão apresentar tais sintomas, que cessarão após o parto;
  • anemia e baixo nível de ferro no sangue;
  • insuficiência renal crônica e pacientes em diálise;
  • alguns antidepressivos podem desencadear os sintomas.

 


Tratamento

O tratamento é estabelecido em diversos níveis, na dependência da intensidade e frequência dos sintomas. Medidas gerais, físicas e medicamentosas serão iniciadas de acordo com a avaliação médica.
Algumas medidas gerais podem ser úteis:

  • observar se algum medicamento piora os sintomas (e não interromper, mas avisar ao seu médico);
  • evitar excesso de cafeína;
  • alimentação balanceada (atenção especial para alimentos que contenham ferro e vitaminas do complexo B);
  • eliminar bebidas alcoólicasbons hábitos de sono (dormir no mesmo horário toda a noite, ambiente calmo e com pouca iluminação, atividades físicas moderadas e regulares)

Existem várias possibilidades de tratamento medicamentoso e seu médico avaliará o melhor regime terapêutico.

Você poderá encontrar maiores informações sobre a Síndrome das Pernas Inquietas em alguns sites:

International Restless Legs Syndrome Study Group (em inglês)
Restless Legs Syndrome Foundation (em inglês)
Worldwide Education anda Awareness for Moviment Disorders (em inglês)

×
%d blogueiros gostam disto: