Deprecated: stristr(): Non-string needles will be interpreted as strings in the future. Use an explicit chr() call to preserve the current behavior in /home/fluxocom/public_html/wp-content/plugins/a2-w3-total-cache/lib/W3/PgCache.php on line 991
Secar vasinhos na gravidez. Isso é possível? - Fluxo - Cirurgia Vascular

Posso secar meus vasinhos durante a gravidez?

Essa é uma pergunta bastante recorrente no consultório vascular. Algumas mulheres planejando o tratamento de seus vasinhos são surpreendidas por um resultado positivo do teste de gravidez. Outras, notando que seus vasinhos aumentam durante a gestação, tentam desesperadamente fazer alguma coisa que evite a proliferação desses pequenos vasos.

Sabidamente, a quantidade de gestações é um fator de risco ao surgimento e piora da gravidade das varizes. Desde o aparecimento de pequenos vasos até o surgimento de grandes varizes nas pernas ou na região genital, definitivamente a gravidez aumenta a chance dessa condição vascular.

Mas por que os vasinhos e as varizes aumentam na gestação?

Uma publicação científica (chamada de revisão sistemática e metanálise) no Journal of Vascular Surgery: Venous and Lymphatic Disorders de outubro de 2016 revisou e condensou estatisticamente o resultado de 9 estudos relevantes sobre o assunto. A conclusão dessa metanálise é que o risco de desenvolver varizes é 82% maior nas gestantes do que nas não gestantes.

A gestação aumentou em 82% o risco de desenvolver varizes.

Um estudo brasileiro publicado em 2010 demonstrou a prevalência de varizes em 72,7% das gestantes e chama atenção para os fatores de risco associados: idade e história familiar

Isso ocorre porque a gestação influencia a circulação venosa (veias) de duas formas principais:

  1. Efeito hormonal: Todo ciclo gestacional leva a um aumento da quantidade de progesterona circulante. Esse hormônio age diretamente sobre a parede das veias, fragilizando as mesmas e facilitando com que se tornem dilatadas e com refluxo, o que  caracteriza varizes. A progesterona também aumenta a retenção líquida o que aumenta a quantidade de sangue no organismo e também aqueles inchaços típicos da gestante.
  2. Efeito mecânico: o crescimento do feto no útero materno: esse efeito, mais evidente a partir da metade da gestação, leva a um aumento de volume pelo feto, da pelve feminina. Na pelve passam veias muito importantes que drenam todo o fluxo de sangue das veias que provêm das pernas, as veias ilíacas. Como crescimento do bebê no útero materno, essas veias sofrem algum grau de compressão, criando uma dificuldade para que o sangue que escoa das pernas. Esse fenômeno leva a um aumento da pressão do sangue sobre as veias das pernas, que podem se dilatar até formarem varizes.

Mas todas as mulheres que engravidam terão varizes?

Não necessariamente. Aliado às condições próprias das gestações, existe um outro componente muito importante na causa das varizes, a tendência genética. As pessoas que tem varizes primárias (aquelas que surgem espontaneamente), trazem em seu código genético uma tendência para ter varizes. Associado às gestações, essas mulheres terão probabilidade ainda maior de ter suas varizes iniciadas ou agravadas.

Mas eu conheço mulheres que tiveram muitas gestações e não têm varizes…

Sim. Há aquelas mulheres geneticamente privilegiadas nas quais os efeitos da gestação não afetam a formação das varizes porque suas veias não trazem essa tendência genética para tê-las.

Enfim, posso secar os vasinhos durante a gravidez?

Não há muitos estudos que possam afirmar que sim ou que não na literatura médica, então usamos o bom senso. Listo abaixo os motivos pelos quais preferimos não tratar os vasinhos durante a gestação:

  • Pouco resultado prático: estaremos “brigando” contra as forças da natureza. Enquanto tento secá-las, há aqueles dois fatores lá do início da postagem agindo contra o tratamento;
  • Risco de tromboembolismo venoso: ao mesmo tempo que os hormônios favorecem o aparecimento de varizes, o efeito mecânico da compressão das veias na pelve e o aumento do volume sanguíneo circulante podem facilitar com que efeitos adversos da aplicação nos vasinhos possam sobressair; um deles é a trombose venosa profunda. A gestação por si só é um estado pró-trombótico, se acrescentarmos um outro ingrediente nessa fórmula, o risco aumentaria ainda mais. O agente esclerosante (substância injetada para secar o vasinho) agride a parede das veias proporcionando a “secagem” desses vasinhos. Eventualmente, parte desse agente pode cair em uma veia de maior tamanho e causar a formação do coágulo que caracteriza a trombose. 
  • Risco para o embrião ou feto: Nem toda escleroterapia de varizes é realizada somente com glicose hipertônica (que não faria mal ao embrião ou feto). As medicações esclerosantes não tem segurança comprovada para seu uso na gestação, por isso preferimos evitar esse tipo de tratamento (secagem dos vasinhos) nesse período da vida da mulher.

Esses são os motivos pelos quais não é recomendado fazer o tratamento dos vasinhos durante a gestação.

Links de interesse:

  1. Ismail, L., Normahani, P., Standfield, N. J., & Jaffer, U. (2016). A systematic review and meta-analysis of the risk for development of varicose veins in women with a history of pregnancy. Journal of Vascular Surgery: Venous and Lymphatic Disorders, 4(4), 518–524.e1. doi:10.1016/j.jvsv.2016.06.003  – Em inglês. Trata-se de um estudo científico que sumariza os resultados de 9 estudos sobre o tema gestação e varizes.
  2. Barros Junior, Newton de, Perez, Maria Del Carmen Janeiro, Amorim, Jorge Eduardo de, & Miranda Junior, Fausto. (2010). Gestação e varizes de membros inferiores: prevalência e fatores de risco. Jornal Vascular Brasileiro, 9(2), 29-35. https://dx.doi.org/10.1590/S1677-54492010000200004 – Em Português. Dá uma visão detalhada sobre os efeitos da gestação no aprecimento de varizes.

Dr. Robson Barbosa de Miranda é Angiologista, Cirurgião e Ecografista Vascular